Veja o que é Preciso Para Atuar como Médico Fora do Brasil

Veja o que é Preciso Para Atuar como Médico Fora do Brasil

Assim como ocorre no Brasil, que revalida os diplomas estrangeiros por meio de uma prova, o profissional brasileiro que pretende atuar como médico fora do Brasil também terá que cumprir algumas exigências.

Cada país tem seu método próprio para revalidar o diploma dos profissionais estrangeiros, alguns se assemelham ao Revalida, exame utilizado aqui no Brasil a essa finalidade; já outro tem processos bastante rigorosos o que dificulta atuar como médico fora do Brasil.

Alguns países incluem somente a prova como método de ingresso na profissão, caso da Inglaterra que utiliza esse método para testar os conhecimentos em medicina dos profissionais.

 

Na Europa, continente em que a Inglaterra se situa, o processo tem bastante variações.

Um exemplo é Portugal, que deixa a revalidação por conta dos conselhos científicos das universidades.

Neste caso, o conselho avalia o currículo da instituição a qual o médico se graduou, além de verificar se ele possui a mesma qualidade da formação de um médico formado no país.

Um dos processos mais rígidos acontece nos Estados Unidos onde, muitas vezes, é exigido dos profissionais a realização de cursos adicionais no país, para igualar a qualidade de conhecimentos aos médicos locais.

Isso também pode ser exigido em outros países, caso da Índia.

Separamos alguns países para que você entenda como funciona cada processo de revalidação, assim pode cogitar aquele que está mais ao seu alcance na hora de atuar como médico fora do Brasil.

 

» Espanha

Cidadãos sem nacionalidade na União Europeia, precisam apresentar seu diploma e alguns outros documentos para o Ministério da Educação.

Assim é feito um processo de homologação, o mesmo é adotado para outros profissionais fora da área da saúde que queiram atuar no país.

 

» Índia

A revalidação do diploma é reconhecida pelo Conselho Médico Indiano, mas ocorre de forma provisória.

Os médicos recebem um registro provisório, que permitem que cursem uma residência no período de um ano no país.

Ao concluir esse período, é necessário que o profissional solicite um registro permanente, tendo que apresentar o certificado de residência para avaliação do Conselho.

 

» Estados Unidos

No país a licença é obtida pela Comissão Educacional para Médicos Graduados Estrangeiros (ECFMG), onde devem receber um certificado para a revalidação.

Também é comum que os profissionais precisem realizar alguma formação adicional nos Estados Unidos para receber essa certificação do ECFMG.

Fora esse certificado, as universidades são avaliadas pelo Comitê Nacional sobre Educação Médica Estrangeira e Acreditação (NCFMEA).

Esse órgão tem como objetivo analisar os padrões utilizados para a acreditação das instituições em outros países, de modo a que sejam equivalentes aos padrões que são empregados pelas universidades americanas.

Isso facilita o intercâmbio entre profissionais estrangeiros a instituições do país.

Os índices apontam que os EUA têm cerca de 25% de médicos estrangeiros atuando por lá.

 

» Portugal

Quem tem formação fora do país ou da União Europeia, precisa pedir a chama equivalência de grau, emitida pelo Conselho Científico das instituições de medicina em Portugal.

Após a equivalência, os profissionais ainda precisam solicitar um registro para Ordem dos Médicos de Portugal.

Esperamos ter ajudado com o assunto: Atuar como Médico Fora do Brasil

 

Gostou deste artigo? Então deixe o seu comentário aqui embaixo e veja outros conteúdos que provavelmente você irá gostar!

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL