banner desktop banner mobile

Câncer de Mama, quem é o profissional responsável por esse tratamento?

Câncer de Mama, quem é o profissional responsável por esse tratamento?

O câncer de mama é uma doença perigosa que atinge milhares de pessoas, entre mulheres e homens, e precisa ser tratada o quanto antes.

Mas você sabe quem é o profissional que trata o câncer de mama? Muitas pessoas acabam não sabendo a qual profissional recorrer.

Já na área médica, pode haver dúvidas sobre qual especialidade o profissional deve seguir para apoiar a luta contra o câncer de mama.

Sendo assim, continue lendo e descubra qual é o profissional responsável por essa área, e saiba tudo sobre essa doença que afeta tantas pessoas. 


Quem é o profissional que cuida do câncer de mama?

As mulheres aprendem que da mesma forma que um pediatra acompanha toda a infância de uma criança, o ginecologista irá cuidar da saúde delas pelo resto da vida, e esse pensamento está correto. 

Muitas vezes, é o ginecologista que descobre o câncer de mama, visto que muitas mulheres fazem o acompanhamento frequente com esse profissional. 

Mas, por mais preparado que esse profissional possa ser, ele não cuidará sozinho do câncer de mama. 

Então, quem cuidará?

O ginecologista encaminhará a paciente para um mastologista, que será o responsável pelo acompanhamento dela durante todo o tratamento.


O que faz um mastologista?

O Mastologista é o responsável pelo cuidado com a saúde das mamas, é ele quem examina, realiza o diagnóstico e o tratamento de problemas que as mulheres possam apresentar nessa região do corpo que também merece todo cuidado.

Esse profissional analisa todo o histórico da paciente, depois segue para o exame clínico das mamas, realizado por meio do toque.

Fora esse primeiro exame, ele poderá solicitar outros como a mamografia, ultrassonografia ou ressonância das mamas. 

Em alguns casos, o mastologista poderá realizar uma punção quando julgar necessário, que nada mais é do que uma espécie de biópsia.

Ele também será o responsável por uma eventual cirurgia.


câncer de mama

Que tipo de doenças ele trata?

O mastologista é sempre associado ao tratamento e prevenção do câncer de mama.

E realmente esse é o cenário mais comum desse profissional, visto que quanto mais cedo o diagnóstico for dado, melhor será o tratamento.

Mas o mastologista não trata apenas o câncer de mama, ele também é o responsável por identificar e tratar outras doenças como:

Nódulos e assimetrias

Devido às grandes mudanças hormonais pelas quais as mulheres passam, mais comuns no final da adolescência, podem aparecer alguns caroços mais durinhos, chamados de nódulos, nos seios.

Assim como também uma assimetria nas mamas, ou seja, tamanhos diferentes.

Nesse momento, o médico realizará exames para descobrir qual a causa e o tratamento para esse caso.

Mastites

Durante a amamentação, é comum aparecerem inflamações nas glândulas mamárias, causada por uma bactéria que faz parte da própria boca do bebê.

Nesse caso, o mastologista irá orientar a mãe como continuar a amamentação da criança. 

Ginecomastias

As mulheres representam grande parte dos pacientes desse profissional, mas ele não atende apenas a elas.

Alguns homens buscam o mastologista devido a um crescimento anormal das mamas.


A residência médica em Mastologia

Por não ser uma especialidade de acesso direto, a residência médica em mastologia necessita de um pré-requisito.

Pelo menos 2 anos de residência em Ginecologia e Obstetrícia ou Cirurgia Geral, depois disso, o médico pode prestar mastologia. E o Programa de Residência Médica em Mastologia tem a duração de 2 anos.

Algumas atividades recomendadas são: 

  • Enfermaria.
  • Ambulatório.
  • Procedimentos invasivos guiados por imagens
  • Centro Cirúrgico:
  • Cirurgias em lesões benignas e malignas
  • Cirurgias oncoplásticas, reconstruções mamárias e simetrizações
  • Visitas de enfermaria.
  • Discussão de casos clínicos.
  • Discussão de artigos científicos.
  • Aulas e seminários.
  • Atividades de pesquisa.
  • Ambulatório.
  • Centro Cirúrgico.
  • Enfermaria.
  • Oncologia Clínica 
  • Radioterapia.
  • Mamografia e Ultra-sonografia
  • Ressonância Magnética.
  • Medicina Nuclear.
  • Cirurgia Plástica.
  • Anatomia Patológica.
  • Fisioterapia.
  • Psicologia.
  • Técnica Cirúrgica.
  • Ginecologia.

Quando procurar um mastologista?

Normalmente a mulher deve procurar o mastologista, se apresentarem alguma alteração na mama, como:

  • Nódulo palpado;
  • Vermelhidão na pele;
  • Retração do mamilo;
  • Aumento do volume de uma das mamas;
  • Secreção no mamilo (ocorrendo espontaneamente, sem apertar);

Dependendo do diagnóstico, o mastologista irá guiar a paciente durante todo o tratamento.

Mas mesmo que não haja nenhuma anomalia, é importante ir ao mastologia frequentemente depois dos 40 anos, para garantir a prevenção de doenças. 

Sempre que houver alguma dúvida sobre seu auto exame, a paciente deve buscar o mastologista, independente da idade.


O que é o câncer de mama?

O câncer de mama é um tumor maligno, causado pelo crescimento de células de uma maneira desordenada, e o desenvolvimento de um, ou mais, nódulos na mama.


Quais os sintomas do câncer de mama?

O câncer de mama tem como seu sintoma mais conhecido, a aparição de um nódulo duro, irregular e geralmente é indolor, alguns outros sintomas dele são:

  • edema cutâneo (na pele), semelhante à casca de laranja;
  • retração cutânea;
  • dor;
  • inversão do mamilo;
  • hiperemia;
  • descamação ou ulceração do mamilo;
  • secreção papilar, especialmente quando é unilateral e espontânea.

Fatores de risco

Não existe uma causa específica do câncer, mas alguns fatores de risco são:

  • Ser mulher;
  • Idade – mulheres acima dos 50 anos correm mais risco;
  • Histórico familiar (parentes que já tiveram a doença);
  • Não ter filhos ou ter depois dos 30 anos;
  • Elevado consumo de álcool ;
  • Excesso de peso;
  • Falta de exercícios físicos;
  • Ciclo menstrual: mulheres que começaram a menstruar cedo (antes dos 12 anos) ou que entraram na menopausa após os 55 anos têm risco ligeiramente maior de ter câncer de mama;
  • Tratamento com dietilestilbestrol

Ele atinge apenas as mulheres?

Não! Homens também podem ter câncer de mama. 

Apesar de ser bem mais comum em mulheres, do que em homens, eles também podem ter câncer de mama.

Os homens têm glândulas mamárias e hormônios femininos, mesmo que em pequena quantidade. 

Para cada 100 mulheres diagnosticadas com câncer de mama, há 1 homem com o mesmo diagnóstico, aparecendo geralmente em homens acima dos 60 anos.

Mas isso não significa que os homens não devem se preocupar, quanto antes descobrir, mais fácil será o tratamento. 

Por ser mais raro, não existe um rastreamento do câncer de mama, como em mulheres, por isso é importante se manter atento aos seguintes sintomas:

  • Surgimento de um caroço próximo ao mamilo
  • Retração do mamilo
  • Dor unilateral na mama
  • Secreção pelo mamilo

E buscar a ajuda de um mastologista, caso perceba alguma alteração.


Qual a prevenção do câncer de mama?

Fazer a prevenção do câncer de mama não é totalmente possível, visto que são muitos os fatores que podem desencadear essa doença.

Sendo assim, é necessário ficar atento aos fatores de risco, principalmente:

  • excesso de peso corporal
  • falta de atividade física
  • consumo de bebidas alcoólicas

Especula-se que por meio da alimentação, nutrição e atividade física já é possível reduzir em até 28% o risco de a mulher desenvolver câncer de mama. 

A amamentação também é considerada um fator protetor.


O mês de outubro conta com várias ações sobre a prevenção do câncer de mama, além de exames gratuitos.

Procure os locais participantes na sua cidade, e não se esqueça do auto exame.

Caso tenha dúvida sobre seu diagnóstico, entre em contato com um mastologista.

E caso queria saber mais sobre a residência médica, em mastologia ou alguma outra, você pode entrar em contato com a nossa equipe de especialistas, eles estão prontos para te ajudar.

Um forte abraço, até a próxima. 

Siga-nos nas redes sociais e receba sempre novidades e dicas super importantes: Facebook, Instagram, Youtube Twitter

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL