banner desktop banner mobile

Residência em Medicina Intensiva: a demanda por profissionais é maior que a oferta!

Residência em Medicina Intensiva: a demanda por profissionais é maior que a oferta!

Residência médica em Medicina Intensiva é um campo de atuação de extrema importância para a sociedade e, assim, portanto, como as demais áreas da saúde, exige um grande comprometimento com os estudos e com a constante atualização.

Consequentemente, o profissional com especialização em Medicina Intensiva é, então, aquele que lida com o paciente criticamente enfermo e que precisa de cuidados especiais em Unidades de Terapia Intensiva, as UTIs.

Para fazer a residência médica em Medicina Intensiva, o médico deve, portanto, ter concluído ao menos dois anos de residência em Clínica Médica, Cirurgia Geral, Anestesiologia, Infectologia ou Neurologia.

Dessa forma, a especialização para UTI adulto tem a duração de dois anos.

Vale ressaltar que a residência médica em Medicina Intensiva é uma especialidade reconhecida pela Associação Médica Brasileira (AMB) desde 1981, ou seja, é uma especialidade relativamente nova e demanda constantes estudos e pesquisas, para assegurar o seu aperfeiçoamento e crescimento.

Desse modo, infelizmente, ainda existe a carência de profissionais habilitados no mercado.

Se quer saber mais sobre a especialidade, continue lendo esse artigo!

residência médica em Medicina Intensiva

Leia também: Conheça as especialidades médicas que você pode atuar!

O que é a residência médica em Medicina Intensiva?

A Terapia Intensiva é uma especialidade jovem, reconhecida pelo Conselho Federal de Medicina desde 1992.

Dessa forma, sua origem está intimamente relacionada ao tratamento especializado oferecido, portanto, a feridos de guerra pela enfermeira Florence Nightingale em torno de 1850, sendo hoje reconhecida como a precursora dos cuidados intensivos.

Estão aptos a realizar residência em Terapia Intensiva, médicos que possuem residência completa em Clínica Médica, Cirurgia, Anestesiologia, Cirurgia geral e Infectologia.

Assim, o curso se completa em 2 anos, quando há possibilidade de prestar prova para o título de especialista.

Leia também: Especialidades de acesso direto x pré-requisito

residência médica em Medicina Intensiva

Como é o dia a dia?

O intensivista pode trabalhar como rotineiro/diarista em UTIs gerais ou especializadas, como plantonista ou exercendo também a especialidade na área em que fez residência anteriormente.

Oportunidades de trabalho na residência médica em Medicina Intensiva:

O mercado de trabalho para o intensivista é vasto. Atualmente todo hospital terciário é obrigado a ter no mínimo 6% de seus leitos voltados a terapia intensiva. Hospitais privados costumam ter de 20 a 40% de seus leitos voltados aos pacientes críticos.

Assim, a demanda por especialistas atualmente é bem maior que a oferta, fazendo com que os recém titulados sejam rapidamente absorvidos pelo mercado de trabalho, tornando-se, portanto, médicos rotineiros e com grande chance de ascensão para cargos de supervisão e gerência de acordo com suas competências.

Leia também: Caminhos após a graduação em medicina, quais você pode seguir?

Número de especialistas:

Entretanto, no momento, temos aproximadamente 5 mil intensivistas registrados pela Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB).

residência médica em Medicina Intensiva

Especialidades correlacionadas a residência médica em Medicina Intensiva:

A terapia intensiva talvez seja o ambiente onde o espírito multidisciplinar se torna, portanto, mais necessário.

A interação harmônica entre as equipes (enfermagem, fisioterapia, nutrição, higiene, hotelaria …) é, portanto, fundamental para obtenção de bons resultados assistenciais e bom ambiente de trabalho.

Frequentemente existe a necessidade de pareceres e atuações de outras especialidades, fazendo, então, com que o médico intensivista seja um “maestro” responsável pela organização e liderança do grupo.

Área de atuação:

Como falado, o intensivista pode, então, atuar em UTIs gerais ou especializadas.

Leia também: Prova de título para se tornar um especialista

Veja também um vídeo sobre as vantagens de fazer residência médica no Brasil:


Contudo, se precisar de ajuda, pode entrar em contato com a nossa equipe de especialistas, eles estão prontos para te ajudar.
Por fim, um forte abraço, até a próxima. 
Conheça, então, os nossos programas!
Portanto, siga-nos nas redes sociais e receba sempre novidades e dicas super importantes: Facebook, Instagram, Youtube, TwitterLinkedin.

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL