5 Dicas para Você Definir sua Especialidade Médica

5 Dicas para Você Definir sua Especialidade Médica

Você está com dúvidas para definir sua especialidade médica?

Você terminou a faculdade de medicina.

Todo contente, pensou que já estaria pronto e entraria na residência médica dos seus sonhos, mas descobriu que não sabe como definir sua especialidade médica.

Não precisa se preocupar. Quase todos os recém-formados em medicina já passaram por essa frustração.

Mas essa história não precisa terminar assim…

Você descobrira agora, 5 dicas de quem já trabalha com médicos há mais de 6 anos.

Preparado? Então continue lendo esse artigo e conheça as 5 dicas para definir sua especialidade médica.

Nele você vai aprender mais sobre:

▶  5 Dicas para Você Definir sua Especialidade Médica

Analise as Especialidades Médicas que Você Mais Gosta

▶  Qualidade de Vida e Remuneração

▶ Devo Fazer Pós?

▶  Pense na Rotina para definir sua especialidade médica

Seu Endereço Também Influencia

5 DICAS PARA VOCÊ DEFINIR SUA ESPECIALIDADE MÉDICA


Com a graduação em medicina, começam a surgir as dúvidas normais dos recém-formados, uma delas é a de qual especialidade médica seguir.

A medicina é uma carreira árdua desde a vida acadêmica, já que os cursos demandam seis anos ou mais para serem concluídos, contando com estágios e período de residência médica onde você poderá se especializar.

Se especializar em uma área da saúde é importante, um pouco por conta da concorrência pesada que ocorre na clínica geral, que é a parte mais congestionada da saúde.

O salário também dá uma guinada quando o médico é especialista, visto que para algumas áreas o retorno é muito maior do que como generalista.

No entanto, a remuneração não é o único ponto que deve ser levado em consideração ao escolher uma especialidade médica, afinal ela tomara muito tempo da sua vida.

As opções são diversas e podem proporcionar uma carreira estável e promissora, mas como definir sua especialidade médica?

A medicina possui algumas áreas mais famosas, caso da pediatria, urologia, ginecologia e muitas outras.

A lista não é muito extensa, mas traz especialidades mais comuns ao dia-a-dia dos pacientes.

Sendo assim, as vezes compensa bastante tentar uma menos concorrida, mas que dê gancho para a área que você mais se identifica, afinal algumas áreas são correlatas.

É normal que algumas áreas passem por um pouco de modismo, despertando o interesse de mais profissionais em certas épocas.

Por isso é importante conhecer a especialidade médica que você deseja atuar, e se, ainda tem dúvidas de como escolher, separamos algumas dicas para te ajudar a avaliar as opções e a definir sua especialidade médica.

ANALISE AS ESPECIALIDADES MÉDICAS QUE VOCÊ MAIS GOSTA


A especialização nada mais é que uma extensão aos estudos, que te dará uma formação mais especifica em medicina.

Neste caso, o médico estará se submetendo há mais alguns anos de estudo.

A ideia da especialização é moldar o profissional para atender em uma área especifica, desta forma ele precisa passar por um concurso público e concorrer a bolsa de estudos, onde se tornara residente.

Ao longo dos anos acadêmicos, algumas matérias nos prendem mais que as outras, é aí que começa o interesse por algumas especialidades.

Mas, além do interesse, é importante que o profissional se sinta seguro com a área que tem intensão de atuar, afinal optar pela residência médica é um passo importante para a carreira.

O ideal é tentar se imaginar em algumas dessas especialidades médicas e ver se realmente se identifica.

Essa é uma forma de ter um pouco de certeza se a área é a certa para você, afinal pode ser que esse interesse seja algo de momento.

Lógico que esse não é o único fator que determina a escolha de uma área na medicina.

Saber também qual direção você quer tomar para o seu futuro profissional, considerando pontos como tempo, por exemplo, facilita essa decisão.

QUALIDADE DE VIDA E REMUNERAÇÃO


Na profissão são dois pontos importantes, que podem estar ligados com a especialidade médica escolhida.

Muitos médicos saem da faculdade, e alguns casos até entram, como uma opinião formada sobre o rumo que querem tomar para a profissão.

Na maioria das vezes, eles consideram apenas a remuneração e o prazer de atuar naquela área.

Vale lembrar que, nem sempre, ter um bom salário e fazer o que gosta, não significa que terá uma vida social estrutura.

A profissão requer anos de estudos, incluindo os para se especializar, e é árdua, onde toma muito tempo da vida social do indivíduo.

Para saber sobre ambos, recomenda-se que converse com outras pessoas que atuam nessa área e assim consiga conhecer um pouco da realidade.

Quando a remuneração em especifico, você poderá verificar se a sua escolha proporciona um salário próximo ao que você está almejando.

Também é importante analisar se a área remunera de acordo com as funções exercidas pelo profissional.

DEVO FAZER PÓS?


A pós-graduação é diferente da residência médica, já que a maior parte do estudo é teórico, enquanto a outra é um treinamento em serviço.

A residência se diferencia exatamente nisso, já que ela é uma especialização do curso de medicina, com uma área especifica.

Enquanto a pós é mais um estudo teórico de algumas áreas, tendo também uma parte prática, mas em proporção menor.

É lógico que ambas valem para estudo e se quer optar por uma pós, é importante analisar as instituições.

A verdade é que algumas residências podem ser mais fracas que a pós-graduação, dependendo da instituição de estudo escolhida.

Assim é importante para o médico que ele avalie bem o local que irá fazer a pós-graduação.

Vale lembrar que a pós pode ser feita logo após a formação na universidade, enquanto a residência precisa da aprovação que é muito complexa e concorrida.

Isso porque uma das etapas do concurso é totalmente prática, onde o médico é avaliado por seus conhecimentos no dia a dia da profissão.

Alguns cursos de pós são voltados para aperfeiçoamentos e estágios, aonde você também terá a vivência prática que a residência dá, só que muito menos intenso do que ocorre na especialização.

PENSE NA ROTINA PARA DEFINIR SUA ESPECIALIDADE MÉDICA


especialidade médica também implicará com a sua rotina de trabalho, já que algumas são destinadas a ambulatórios e outras para centros cirúrgicos, fora as áreas mais intensas que trabalham por plantão.

Se está em busca de flexibilidade ou trabalhar com consultas agendadas, fugindo do plantão médico, você precisará conhecer em qual categoria a especialidade está inserida.

É importante lembrar que, em algumas áreas, existe a possibilidade de trabalhar de modo autônomo, mas isso também cabe uma avaliação.

Em algumas especialidades a concorrência é bastante ampla, ficando mais complicado ter uma estabilidade e destaque dentro da área.

SEU ENDEREÇO TAMBÉM INFLUENCIA


Municípios com poucos habitantes dificilmente procurarão por certas especialidades que fogem do comum, enquanto em capitais e cidades mais populosas ficará difícil se estabilizar e ter sucesso com essas mesmas especialidades.

Um bom exemplo é a pediatria, que se instalada em uma grande metrópole, leva-se um bom tempo para criar uma gama de pacientes, já que as opções dessa especialidade são encontradas com mais facilidade.

Cabe avaliar a concorrência para entrar na residência.

Como já citada, a pediatria tem grande procura na hora da especialização, assim como algumas áreas que acabam se destacando mais do que as outras.

Até mesmo em cidades pequenas pode ser difícil se estabelecer como pediatra, visto que há menos habitantes, mas também muitas opções.

No caso a concorrência é pesada para os dois extremos.

Descubra suas habilidades e faça um planejamento dos seus objetivos de carreira!

Gostou deste artigo? Então deixe o seu comentário aqui embaixo e veja outros conteúdos que provavelmente você irá gostar!

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL