As Verdadeiras Funções de um Médico na Residência Médica

As Verdadeiras Funções de um Médico na Residência Médica

A residência médica é o período de especialização dos profissionais da saúde, onde eles estudam para se pós-graduar em uma área especifica da saúde, como a pediatria, ginecologia, geriatria, entre outros segmentos.

Para participar dessa especialização, o médico deve prestar um concurso público após alguns anos de atuação.

Nesse exame, são cobrados conhecimentos teóricos e práticos do profissional, por isso é tão importante a experiência clínica obtida em trabalho após a faculdade.

Quando o médico se torna residente, ele aprende a especialização em serviço.

Pela legislação, o curso consiste em aprendizado em serviço, onde o médico residente ganha uma bolsa de aproximadamente R$ 2 mil por mês e trabalha no regime de plantões, para que aprenda na prática o segmento a qual prestou concurso.

A prova é considerada o segundo vestibular de medicina, por seu grau de dificuldade e a ampla concorrência, similar ao para entrar nas universidades.

 

»Qual a Finalidade da Residência Médica?

Os programas de residência médica têm como finalidade o aprendizado, que é seu principal objetivo.

No período de estudos, o residente participa de ações para seu aperfeiçoamento na profissão, voltado a uma especialidade médica.

Neste caso, os programas compreendem estudo teórico e prático, tendo uma duração, normalmente, de dois a três anos.

Normalmente, as jornadas de estudo do residente são de 60 horas semanais, conforme prevê o programa da Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

Essas horas são divididas e cumpridas em plantões, assim como ocorre na profissão.

 

»O Programa de Residência Médica

Durante a duração do programa, principalmente nas jornadas de trabalho, o residente deverá desenvolver atividades especificas da especialização, que são definidas pelo programa à qual está vinculado.

Enquanto ele estiver no período de residência, qualquer atividade que fuja do programa, pode causar a eliminação e perda da bolsa de estudos.

Desta forma, fica obrigatório o cumprimento das 60 horas em plantão semanalmente.

Fora dessa jornada estipulada pelo curso, o médico pode fazer plantões como forma de complementação do salário, que é reduzido por conta da bolsa concedida pelo programa.

O objetivo da residência é atuação médica especializada, figurando como uma pós-graduação em medicina.

Neste caso, o formato dos programas trabalha com a premissa de treinamento em serviço, onde a formação é composta por atividades práticas e teóricas, que são remuneradas pela bolsa com valor médio de R$ 2 mil.

Além disso, o programa é fiscalizado e regulamentado pelo Ministério da Educação e Cultura (MEC), em parceria com a CNRM.

 

»Prestação de Serviço

O médico, durante o curso, irá trabalhar como plantonista, por isso é fundamental que ele tenha certa experiência antes de ingressar na residência médica.

O recomendado é que ele tenha trabalhado como generalista por, ao menos, dois anos antes de prestar a prova, para ter um bom desempenho na parte prática da mesma.

Sem isso, o médico não consegue classificação no exame.

Nessa etapa, os residentes atendem a casos específicos da área escolhida para estudo e também de outros segmentos.

Embora seja possível atuar fora dos plantões de estudos, por ser uma jornada muito extenuante, nem todos apresentam condições físicas, mentais ou psicológicas para manter essa jornada dupla.

 

Aprenda a eliminar tudo que tira o seu foco dos estudos e fique totalmente preparado para as provas de residência!

 

Gostou deste artigo? Então deixe o seu comentário aqui embaixo e veja outros conteúdos que provavelmente você irá gostar!

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL