banner desktop banner mobile

Fiz Concurso de Residência Médica e não passei o que fazer?

Fiz Concurso de Residência Médica e não passei o que fazer?

Estamos passando pela época do ano em que o concurso de Residência Médica se torna um assunto um tanto quanto mais recorrente.

Visto que a grande maioria das provas já acabaram e a lista de convocação para a segunda etapa já está sendo realizada.

Contudo, infelizmente, alguns candidatos não conseguem sua tão sonhada vaga na residência médica.

E é nesse momento que se da inicio ao seguinte questionamento:

” – Estudei, me dediquei, fiz o concurso de Residência Médica e não passei. O que devo fazer agora?”

Navegando pela internet encontrei um artigo que remete muito bem a esse momento que muitos médicos estão passando.

O artigo que encontrei recebe o título Não passei no concurso à residência médica, o que farei?“, seu autor é ninguém menos que o Professor e Vice-Presidente da Sociedade Brasileira de Clínica Médica, César P. Kubiak .

Confira a seguir alguns trechos e análise desse artigo, e a seguir, entenda um pouco sobre o concurso de residência médica e sua alta concorrência.

Tenha uma boa leitura.


Não passei no concurso de residência médica, o que farei? 

No decorrer do texto, o autor faz uma análise de um fato que está se tornando cada vez mais comum ao final da graduação em medicina.

É notável que cada vez menos médicos conseguem ser aprovados nos concursos de Residência Médica.

Um detalhe interessante que ressaltamos da análise feita por César, é o que já vem sendo conhecido por muitos. Durante muitos anos o curso de medicina vem sendo o maior e mais complexo curso superior.

De maneira que, quando o aluno concluísse a graduação em medicina, em tese, já estaria preparado para a próxima fase, a residência médica.

Logo que este teria tido contato, por exemplo, com todos os macetes, treinamentos, conteúdos e cursos, que posteriormente, agregariam a sua bagagem de conhecimento necessária para a prova.

Igualmente, possibilitaria que o candidato assumisse seu ofício e papel social de imediato.

A realidade encontrada ao prestar a residência médica

Infelizmente, esse não é o cenário com o qual os recém formados se deparam e, como resultado, acabam não conseguindo ser aprovados no concurso de Residência Médica.

Consequentemente, se deparam com uma onda de frustração, visto que seu preparo para o exame demandou tempo, gastos, esforços, muitas renuncias, e claro, grandes expectativas.

A alta concorrência é algo com o qual os candidatos se deparam logo de cara.

Já explicamos aqui no blog sobre a má distribuição dos programas de residência médica, e esse é um dos motivos para tanta concorrência.

Nota-se que a quantidade de médicos recém-formados ultrapassa a quantidade de vagas que os programas de residência médica possuem.

Lidando com a situação

Assim sendo, o professor citou em seu artigo várias opções possíveis e plausíveis como uma maneira de lidar com o que esta acontecendo, sendo alguns deles:

  • Bons e reconhecidos cursos de especialização;
  • Concursos públicos;
  • Médico plantonista em instituições idôneas;
  • Visitar cidades do interior.

E o mais importante, sempre continuar estudando. Essa é a base da carreira médica.

Entretanto, é apontado também que as escolas médicas vem decaindo sua qualidade de ensino, de maneira que se fragmentou em especialidades, sendo essas muitas vezes distante da nossa realidade assistencial, ou conspurcada em interesses aquém da boa formação geral do médico.

Em resumo, portanto, as turmas vem sendo constituídas por aqueles que “podem e os não podem cursar os controversos cursos preparatórios aos concursos de residência”

Sendo esses formados por revisões sistemáticas de conteúdos curriculares, adaptados a metodologia pedagógica que facilite o acerto de maior número de questões nos concursos.

Em outras palavras, um “decoreba” maçante, sem um real valor agregado, visto que é distanciado da prática e da vivência clínica. Distorcendo o verdadeiro aprendizado da Medicina (a ciência do fazer e fazer bem) e que se pratica na beira dos leitos e nos consultórios e com quem sabe.


Descubra como manter a energia e disposição para estudar para a residência médica!

Concurso de Residência Médica


Como funciona o processo de residência médica

Como vimos, não ser aprovado no concurso de residência médica causa uma série de frustrações, entretanto, uma maneira de evitar que isso aconteça, é conhecer bem o processo.

A residência médica, é uma especialização que permite que o médico já formado possa se especializar em uma área especifica da medicina.

Contudo, ela não é obrigatória.

O tempo de duração da residência médica varia de 2 a 5 anos, dependendo da especialidade médica escolhida.

Logo, nela, as especialidades médicas são divididas em duas categorias, as sem pré-requisitos e as com pré-requisito.

Outro detalhe da residência médica é que ela aborda um conteúdo bem mais aprofundado, abordando a parte teórica e prática da especialidade escolhida.

Para entrar na residência médica o candidato precisa passar pelo processo seletivo, que é dividido em 3 etapas, sendo elas:

Assista ao vídeo a seguir, a fim de descubrir como cada uma dessas etapas funcionam:

Em suma, esperamos que, com esse artigo, você tenha um maior conhecimento do concurso de residência médica, assim como o que fazer caso não consiga passar.

Acima de tudo, que tenha entendio que a base para a sua aprovação não resume apenas ao conteúdo, mas similarmente é necessário planejamento  e organização para garantir alta performance de estudos.

Sobretudo, esse é o patamar principal para que você consiga se tornar um especialista na área que escolheu.

Igualmente, se precisar de ajuda pode entrar em contato com a nossa equipe de especialistas, eles estão prontos para te ajudar.

Por fim, um forte abraço, até a próxima. 


Siga-nos nas redes sociais e receba sempre novidades e dicas super importantes: Facebook, Instagram, Youtube Twitter Linkedin

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL