Saiba o que é Preciso Para Fazer a Residência Médica na USP

Saiba o que é Preciso Para Fazer a Residência Médica na USP

A Faculdade de Medicina da USP (FMUSP), além do curso regular para graduação, também oferece programas para residência médica USP.

A Universidade de São Paulo (USP) é uma das mais conceituadas e tradicionais do país.

Reconhecida internacionalmente, a instituição tem mais de 80 anos de fundação, trazendo os cursos tradicionais de medicina e direito, como o principal foco em seus primeiros anos de atuação.

Hoje a instituição tem uma série de cursos, tanto da graduação convencional como para especialização e pós-graduação, ainda reconhecida como uma das principais instituições do país.

Por conta disso, a maioria dos cursos ministrados pela instituição tem alta concorrência, principalmente, o de medicina.

Entenda como funciona o processo seletivo para residência médica na USP, continue lendo esse artigo para saber mais sobre:

     ▷ Como funciona residência medica na USP

     ▷ Como funciona o processo seletivo de residência médica na USP

     ▷ Avaliação de currículo para entrar na residência médica na USP

     ▷ A prova de residência médica na USP

     ▷ Entrevista pessoal para entrar na residência médica

 

COMO FUNCIONA RESIDÊNCIA MEDICA NA USP

Todos os programas ministrados pela instituição são credenciados pela Comissão Nacional de Residência Médica (CNRM).

Isso garante que o curso esteja dentro da legislação que regula os programas, fazendo com que tenha maior credibilidade.

Para participar da residência médica USP é necessário passar por um processo de seleção, assim como ocorre normalmente em qualquer instituição participante do programa e que disponha dos cursos.

A USP abre vagas anualmente, divulgando as normas de participação em editais.

As regras normalmente seguem um padrão do CNRM, mas tem algumas especificações dadas pela própria universidade, o que é bastante comum quando o concurso não é executado pela Comissão.

Assim como o curso de medicina, a busca pela residência médica USP também é bastante alta, por isso para entrar na instituição requer muita dedicação.

O concurso público para os programas de residencial, por si só, já são difíceis por englobarem assuntos teóricos e práticos da área médica.

Na USP, os médicos ainda precisam disputar pela vaga com centenas de candidatos.

Em algumas edições, a relação de candidatos por vaga chega a ser muito próxima dos índices registrados no vestibular.

A média é de 30 candidatos concorrendo a uma vaga, na maioria das edições.

 

COMO FUNCIONA O PROCESSO SELETIVO DE RESIDÊNCIA MÉDICA NA USP


Para participar da prova de residência médica USP, além da formação médica, é necessário desembolsar um valor para pagamento da taxa de inscrição.

As inscrições, normalmente, ocorrem no segundo semestre do ano.

Sendo que é feito um único processo seletivo ao ano, sempre para ingresso no ano seguinte.

É comum que a instituição inicie as inscrições em outubro e a prova ocorra em novembro.

Isso inclusive aconteceu em 2016, por exemplo, onde elas foram abertas durante o mês de outubro, enquanto o exame foi realizado em novembro.

O preço é bastante salgado, mas, mesmo assim, a prova ainda é bastante concorrida.

No ano anterior a taxa era de R$ 620,00, valor que deve ser mantido para as inscrições desse ano.

Em algumas edições esse preço é reajustado, de acordo com a taxa de inflação do país.

O programa concede bolsas pelo Ministério da Saúde, mas assim como as vagas, são abertas pouquíssimas opções que se enquadram nesse critério.

O mais frequente é que sejam ofertadas a cursos de baixa concorrência, ou seja, a quantidade de candidatos é menor do que para especialidades mais populares, como a pediatria.

Isso não quer dizer que essas áreas sejam esclusas na oferta de bolsas, também ocorre, mas como alguns deles tem pouquíssimas vagas, nem sempre há a essa opção aberta pelo Ministério da Saúde.

Alguns cursos abrem apenas uma vaga, caso da cirurgia pediátrica que em 2016 selecionou apenas um candidato.

Essa inclusive é uma área muito buscada, assim como a maioria das especialidades voltadas a cirurgia, ou seja, essa única vaga foi disputadíssima na última edição.

As especialidades são subdivididas, em segmentos específicos como psiquiatria, ortopedia e traumatologia, e radioterápica; especialidades clinicas, que abrangem cursos voltados a cardiologia e endocrinologia; especialidades cirúrgicas, como o próprio nome já indica é voltada a uma segmentação da saúde com ênfase em cirurgias, como plástica e vascular; por fim as especialidades e áreas de atuação, como mastologia, nutrologia e outros.

Em geral, as especialidades consideradas invasivas, como são as cirurgias, tem uma procura muito maior.

Outras tem aumento de candidatos por modismo, quando ocorrem de ficar em alta por um período e assim atrair um número maior de interessados.

 

AVALIAÇÃO DE CURRÍCULO PARA ENTRAR NA RESIDÊNCIA MÉDICA NA USP


Uma das etapas do processo de seleção aos programas de residência médica USP, é voltada a avaliação do currículo médico profissional dos candidatos.

Isso também ocorre por parte da FMUSP.

Esse é um processo normal do concurso, tanto que a USP não é a única que o realiza.

É uma parte obrigatória na avaliação, mas que tem um peso leva em relação a prova como um todo.

Nessa etapa, basicamente, o profissional vai ser avaliado pela sua formação e os locais que trabalhou.

Neste caso, o edital explica que serão avaliadas algumas competências profissionais e de educação do médico graduado, como a instituição na qual ele se formou, por exemplo.

Outros pontos como desempenho em programas de pré-requisito, além da participação em estágios supervisionados, também compõem a avaliação de CV.

Deste modo, é bastante importante avaliar o edital previamente, para ter noção do que será cobrado e se o seu currículo atende esses requisitos que são cobrados.

 

Você sabia que priorizando e fazendo análises dos hospitais e provas que irá prestar, você economiza dinheiro e energia?

 

Esse também é um dos motivos da cobrança de experiência na profissão antes de ingressar na residência, a prática conta muito, mas os currículos também.

Cada critério tem peso diferente.

Por exemplo, a arguição, tem peso quatro sobre a nota obtida.

Ela é a comprovação se há coerência com as competências apresentadas pelo candidato, com o que está em seu currículo.

 

A PROVA DE RESIDÊNCIA MÉDICA NA USP


Na data da prova, é cobrado do candidato seus documentos pessoais, como o RG.

Elas são realizadas em duas etapas: a teórica, que ocorre primeiro, a prática e arguição, que são ministradas no mesmo dia.

 

ENTREVISTA PESSOAL PARA ENTRAR NA RESIDÊNCIA MÉDICA


Essa é a última etapa das provas de residência, onde os avaliadores irão ministrar uma entrevista comum com o candidato, assim como ocorre normalmente para ingressar nas empresas.

Na entrevista, é importante que o candidato apresente segurança e se mantenha calmo, porque isso chama atenção dos avaliadores.

Eles não estarão lá apenas para analisar o seu desempenho na prova, mas também como você se porta e responde às perguntas, uma forma de entender o seu conhecimento sobre a profissão.

Embora tenha um peso menor, a entrevista pode ser o ponto chave para a aprovação do candidato, mesmo ele apresentando um bom desempenho em todas as etapas anteriores.

Lembrando o peso maior, cerca de 90% de toda a avaliação, é a parte teórica e pratica.

 

Gostou deste artigo? Então deixe o seu comentário aqui embaixo e veja outros conteúdos que provavelmente você irá gostar!

Conteúdos relevantes

Deixe um comentário

Dar nossa contribuição para a carreira médica é o melhor jeito de contribuir com a evolução da saúde no país. Junte-se a mais de 35 mil médicos e receba dicas e conteúdo exclusivo.

RECEBA GRÁTIS CONTEÚDOS EM SEU E-MAIL